Respiração na corrida

3 de janeiro, 2011 // Dicas de Corrida | 4 Comentários

Para muitos atletas, controlar a respiração e conseguir manter o fôlego até o final do treino ou prova é uma missão quase impossível. Mesmo sendo difícil de acreditar, o corpo humano é capaz de adaptar a entrada de oxigênio de acordo com o que a atividade física necessita. Mas é fundamental que a sua respiração seja controlada e mantenha uma cadência. Assim você não se cansa tão rapidamente e as probabilidades de conseguir manter a respiração são bem maiores.

Pois o que move o atleta para frente é sua capacidade de captar oxigênio do ar e distribuí-lo pelo corpo. A troca gasosa realizada no seu metabolismo vai principalmente para a musculatura das pernas, que sem dúvida, é a mais exigida.

E se você ficar oscilando seu ritmo, será cada vez mais difícil para conseguir encontrar um equilíbrio respiratório. Pois para que todo o metabolismo funcione bem durante a corrida, é preciso encontrar a sua maneira mais natural de respirar.

Você já deve ter ouvido a regra “inspire pelo nariz e expire pela boca”. Mas quando o assunto é corrida, ela não é absoluta. Esse tipo de respiração funciona bem em atividades relaxantes, como alongamento e ioga, por exemplo. Em ritmos mais acelerados, o organismo necessita de mais energia e mais oxigênio.

Esse é o tipo de respiração mais básica, mas pode-se respirar por ambos.  Respirar pela boca não vai causar dor no baço? Não! Ao contrário do que muita gente pensa, as pontadas que sentimos estão associadas mais à perda de ritmo da respiração do que ao orifício pelo qual se inspira. A dor aparece porque o diafragma trabalha de maneira brusca ou muito intensa.

O que você tem que fazer é controlar a respiração e não forçá-la. O jeito certo de respirar é o que seja confortável para a prática de corrida. Deixe a respiração fluir e permita que boca e nariz compartilhem da captura de ar do ambiente.

Com essa técnica de deixar a respiração ao natural, você fica mais atento e se permite conhecer melhor o seu tipo de respiração. A partir disso você só vai precisar se preocupar em alinhar o ritmo para que seu corpo funcione no mesmo compasso.

Comentários Facebook

4 comentários para “Respiração na corrida”

  1. Timoteo Chueiri Ramos disse:

    O rendimento de qualquer atleta tem relação direta com o sistema respiratório. Os pulmões, vias aéreas, caixa torácica e músculos respiratórios formam um complexo sistema que garante a ventilação constante dos alvéolos, onde ocorre a troca gasosa com os capilares sanguíneos. A frequência respiratória de um adulto jovem normal em repouso é em torno de 10 ciclos/min sendo que cada ciclo (inspiração e expiração) ventila nos pulmões cerca de 500 ml de ar, totalizando um volume minuto de 5 litros/min. Este sistema é muito mais requisitado durante uma atividade física que exige esforço constante, como a corrida e, dependendo do esforço, pode resultar em um aumento de 30 vezes do valor normal do volume minuto, Não conseguimos sustentar uma ventilação voluntária máxima por mais de 1 minuto pois os músculos respiratórios também fadigam. Isso tem repercussão no ritmo imposto por um atleta na corrida, pois além de outros fatores, o sistema respiratório tem seus limites. Por mais que se tente controlar uma respiração voluntária em níveis elevados durante uma atividade física, o indivíduo não consegue sustentar por muito tempo. Aí está uma das dificulades impostas para corredores de 400, 800 e 1500 metros. Para corredores de distâncias maiores o nível de ventilação pode ser melhor administrado.
    O oxigênio captado pelos pulmões, e enviado pelo sistema circulatório, mantém a atividade dos músculos recrutados para a corrida, porém estes músculos, no seu metabolismo, produzem o gás carbônico, o CO2, que deve ser eliminado. O aumento na produção de CO2 pelos músculos durante a atividade física naturalmente faz com que a ventilação pulmonar aumente. O ato de expirar é tão importante quanto o ato de inspirar, pois é nesse momento que eliminamos o CO2. Tente perceber durante a prática da corrida se você mantém o tórax armado, se preocupando somente puxar o ar, caso perceba, experimente se concentrar na expiração, procure prolongar um pouco mais o ato expiratório, isso melhora a extração do CO2 e consequentemente melhora a sensação de falta de ar. Obviamente que a sensação de falta de ar está diretamente relacionada ao esforço, diminuir o ritmo também faz com que a sensação melhore.
    Há outros fatores relacionados ao sistema respiratório que impõem limites ao rendimento esportivo, como a altitude, doenças, alergias respiratórias e qualidade do ar que respiramos, isso vamos deixar para uma outra oportunidade.

  2. [...] também: Respiração na corrida Pin It {lang: [...]

  3. [...] fugir da poluição, mas corredores são especialmente vulneráveis a ela. Durante uma corrida, a troca de ar nos pulmões é mais frequente (em repouso, os pulmões bombeiam 8 a 12 litros de ar por minuto, mas durante a [...]